Travesseiro da NASA: conheça a tecnologia visco-elástico

Para entender como funciona o Travesseiro da NASA, precisamos conhecer a sua principal matéria prima: a espuma visco-elástica!

Essa febre na busca por um “travesseiro da NASA” começou em 1966, quando a Agência Espacial Americana encomendou um material para “equipar” os foguetes e que absorvesse impactos. Surgiu a espuma visco-elástica, que se adaptava instantaneamente ao formato do corpo e voltava ao formato original em segundos, assim que a pressão era removida. O grande problema nessa descoberta estava em apenas um detalhe: o cheiro era considerado muito forte.

Travesseiro da NASA

Perseverante, um dos engenheiros envolvidos no projeto, Charles A. Yost fundou uma empresa para poder comercializar a espuma, que passou então a ser usada em equipamentos médicos, camas, cadeiras de roda ou mesmo como próteses. O material visco-elástico ganhou grande destaque na área da saúde, em função de sua qualidade anti-decúbito.

A espuma da NASA encontra aplicações terapêuticas, utilidade para controlar o cansaço e dores musculares nas viagens, com uso de mantas, almofadas e apoios. O tratamento bacteriológico resiste ao tempo impedindo a formação de ácaros, além de ser isento de substâncias nocivas ao homem e ao meio ambiente já que sua fabricação é à base d’água.

Travesseiro da NASA

Alguns anos mais tarde, na década de 80, quando a tecnologia ficou mais barata e menos cheirosa, é que caiu no gosto dos fabricantes de travesseiros e colchões. Graças à sua estrutura adaptável, a espuma visco-elástica criada pela NASA foi considerada perfeita para o uso, visto que o material é capaz de distribuir uniformemente a pressão sobre toda a área, proporcionando uma postura correta da coluna vertebral e cervical, favorecendo a circulação sanguínea e evitando o incômodo formigamento.

Hoje o Travesseiro da NASA caiu no gosto da população, visto que a tecnologia criada pela Agência Espacial Americana garante enorme conforto para aqueles que utilizam de um travesseiro que emprega a espuma visco-elástica. Mas fique atento: muitos travesseiros dão a entender que são inteiramente de visco-elástico, quando na verdade só a camada mais externa leva espuma.

NASA - A agência criou a espuma visco-elástico

Curiosidades sobre o Travesseiro da NASA

Você sabia que o travesseiro é tão “da NASA” quanto um vestibulando reprovado na Fuvest é “da USP”? Sua espuma visco-elástica realmente foi desenvolvida para equipar foguetes, mas a tecnologia nunca embarcou neles. Ele é reconhecido oficialmente como um “NASA Spin-Off” (termo para avanços tecnológicos criados pela agência que chegam ao mercado consumidor).

Hoje a espuma visco-elástica acolchoa travesseiros, colchões, aviões, automóveis, motocicletas, capacetes de futebol americano, bancos de montanha-russa, celas de cavalo, próteses humanas e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *