Robson Andrade CNI: Aumento de imposto poderá prejudicar ainda mais as empresas

Com a decisão de aumentar o valor dos impostos, as empresas que já sofrem com a recessão econômica, poderão ser ainda mais prejudicadas.

Quem dá o alerta deste fato é p presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade. De acordo com ele, o aumento dos tributos irá drenar recursos do setor privado para o setor público.

Esta decisão que acarreta o aumento dos custos das companhias, irá também reduzir o poder de aquisição das famílias, o que, automaticamente, afeta o crescimento da economia.

A CNI também vai contra a decisão, ressaltando que a carga tributária do país já está próxima de 33% do Produto Interno Bruto (PIB), sendo a mais alta entre as economias em progresso. Vale ressaltar que o fim de determinadas desonerações de impostos, faz com que, na prática, a carga tributária da indústria já tivesse aumentando antecipadamente nos últimos meses.

A Confederação também defende o equilíbrio das contas públicas, que deve ser perseguido por meio da contenção dos gastos e não através do aumento de impostos. Afinal, trata-se de uma tarefa coletiva, incluindo o Governo, o Congresso e a sociedade.

Não só o equilíbrio se faz necessário, mas também reformas importantes para o setor econômico, como a Previdência Social, por exemplo.

O que mais o aumento de imposto afeta?

Não somente as empresas serão prejudicadas com o aumento de tributos, mas a população em sim. Com este aumento de custos das empresas que afeta diretamente o poder de compras das famílias, a geração de novos empregos para a população também é afetada.

“Um eventual aumento dos tributos ampliará a recessão, pois retirará recursos do consumo, da produção e da geração de empregos”, explica Andrade, referente à criação de uma nova porcentagem de Imposto de Renda para a Pessoa Física, revisão de desonerações e o Reintegra, programa que restaura parte das tributações liquidadas pelos exportadores.

O presidente da Confederação destaca que, ao avaliar este aumento dos tributos para atingir a meta fiscal, o governo dá um sinal errado e um momento completamente delicado. O aumento das receitas depende exclusivamente do crescimento da economia, e com este projeto de aumentar os tributos, não há meios de a economia crescer novamente.

Medidas

Para Robson Andrade, antes de ser concretizado de fato o aumento dos impostos, o Governo deve discutir questões referentes a financiamento, liberação de crédito para as corporações, diminuição dos juros e do sistema burocrático.

Ou seja, há uma série de fatores que podem ser feitas no país que facilitarão o ambiente de negócios, bem como a vida das companhias e não significam uma redução da receita tributária. Sendo assim, o presidente da CNI propôs a Henrique Meirelles operar em 11 projetos de simplificação dos acordos tributários e legais das companhias. Dentre os projetos está a questão do aprimoramento na regra do Refis, fazendo com que ele seja mais assimilável pelas empresas, além de colaborar com a arrecadação da tributação federal.