Red Bull | Esportes, Eventos e Campeonatos pelo Mundo

Para começar a falar de Red Bull primeiro é necessário seguir uma instrução: abra sua cabeça. Foi pensando fora da caixa que surgiu a idéia de sucesso absoluto por todo o mundo, que deixou de ser apenas bebida para se tornar um estilo de vida.

O começo de tudo

Sentado em um restaurante em Hong Kong nos anos 80, o austríaco Dietrich Mateschitz, em mais uma viagem a trabalho, reparou que a bebida tônica local fazia muito sucesso. Com sua visão empreendedora e até ousada demais para a ocasião, resolveu levar consigo o produto de volta para seu país.

A marca "Red Bull"

Durante três anos fez pesquisas, aperfeiçoou sua bebida e criou seu plano de vendas. Inicialmente parecia loucura. As pesquisas apresentadas apontavam que o fracasso era inevitável. Isso não bastava para a cabeça dura e genial de Mateschitz. Ele tinha em mente um novo conceito de marketing que, ao invés de anunciar seu produto e levá-lo ao cliente, fazia o cliente ir até seu produto, e ia muito além, o fazia sentir as emoções que Red Bull proporcionava.

Red Bull Energy Drink | A criação da bebida

Red Bull Energy Drink

Com base no tônico chinês havia sido desenvolvida a primeira bebida energética da história, além de uma categoria de produtos totalmente nova. Sua composição à base de cafeína, taurina, vitaminas e outros elementos estimulantes permitia ao consumidor aumentar seu desempenho físico e mental.

Por não oferecer riscos à saúde pode-se beber Red Bull a qualquer momento, seja em uma partida de xadrez, uma atividade física ou até mesmo no trabalho. Plenitude mental e física são atributos muito requisitados no atual contexto social. Apenas em 2003 a bebida ganhou outra versão sem açúcar, chamada Red Bull Sugar Free.

O segredo do sucesso da Red Bull

Aqui está o segredo do sucesso nas vendas! Foi justamente a estratégia de marketing que transformou Mateschitz em bilionário. A Red Bull ganhou um conceito único, feito para “quem quer estar ativo mentalmente, fisicamente e que têm gosto pela vida”, segundo a própria empresa. O slogan traduziu bem a idéia: “Red Bull te dá asas”. A marca teve sua imagem associada à ousadia, superação de limites e à coragem para pessoas que levam uma vida ativa.

E exemplo de ousadia de Mateschitz foi a definição dos investimentos para o marketing. Enquanto a Coca-Cola, que é considerada boa investidora em marketing, aplica 10%, Red Bull opta por 35%, sendo metade disso apenas para realização de eventos.

Red Bull Car | O Mini Cooper é o carro favorito da marca

Desta maneira nasceram as boas propagandas de que todos se recordam, com animações divertidas e um espírito satírico onde sempre há uma situação comum do cotidiano seguida de uma inesperada volta por cima graças à bebida energética Red Bull. Caso não consiga se lembrar de nenhum, confira alguns dos vídeos acessando Comercial Red Bull. Mas onde está aquele plano genial que transforma pessoas em bilionários? Está na outra metade do investimento de marketing: os eventos.

Red Bull Skydive Team

Eventos da Red Bull

Mateschitz soube como ninguém aliar sua proposta de imagem para Red Bull com os eventos realizados. Se o público queria ver superação de desafios e alto desempenho de uma maneira diferente e a Red Bull os proporcionou.

Tudo começou em 1988, com a criação do Red Bull Dolomitenmann, um dos esportes mais radicais na Áustria, onde os competidores praticavam quatro modalidades: corrida na montanha, paragliding, caiaque e mountain bike. De lá pra cá inúmeros eventos e modalidades foram criadas, principalmente esportes de alto risco. Estima-se que 70% dos esportes patrocinados são de alto risco devido ao grande engajamento do público no evento e ao retorno em termos de marketing. Pedro Navio, Diretor de Marketing da marca, relata que em 2008 foi investido em torno de 1,2 bilhão de Euros em esportes radicais.

Red Bull | Praticantes do Skydive

Com a mente livre para a criação de novidades e muita verba, foram surgindo ideias cada vez mais malucas. O Red Bull Flugtag é uma competição que os participantes constroem suas próprias máquinas de vôo (que nunca voam) e se atiram a 10 metros de altura, direto na água. São avaliados o vôo, a distância percorrida e principalmente a criatividade.

Red Bull Flugtag

Outro evento criado pela empresa foi o Red Bull Soapbox Race, uma corrida muito louca onde os participantes constroem seus próprios carros de corrida. E se quer algo novo mesmo, que tal um campeonato de aviõezinhos de papel, com uma estrutura de dar inveja? É o exemplo perfeito de “como é que eu nunca pensei nisso antes?”. Em 2006 e 2009 os campeões da Red Bull Paper Wings foram brasileiros.

Red Bull Paper Wings 2012

Daí pra frente é só coisa de louco! Cliff Diving, onde os competidores mergulham de penhascos do tamanho de prédios; o apoio ao aventureiro Felix Baumgartner, que foi o primeiro a saltar de Base Jump da torre do Petronas Towers, um arranha-céu com quase 500 metros de altura; o Downhill Extreme onde os participantes utilizam suas motos para descer montanhas em velocidade frenética; e o Red Bull Air Race, uma corrida de avião inventada pela marca; dentre inúmeras outras atrações.

Red Bull Air Race

E não pára por aí! A Red Bull patrocina equipes de Fórmula 1, MotoGP, Motocross, Rally Dakar e Nascar. Atualmente a escuderia Red Bull Racing (RBR) de Fórmula 1 está entre as 4 principais do mundo e já conquistou muitos títulos com seu piloto Sebastian Vettel, incluindo o campeonato de construtores. Não se pode duvidar da visibilidade conquistada com tantas ações. Mas tem mais!

Red Bull Fórmula 1

A empresa possui também investimentos no futebol. Atualmente, conta com o FC Red Bull Salzburg, time de futebol consagrado campeão austríaco em 2007; o New York Red Bulls nos EUA; Red Bull Leipzig na Alemanha; Red Bull Ghana; e o Red Bull Brasil, com a sede na cidade de Campinas e que, em 2012, está disputando a série A2 do Campeonato Paulista. Como podemos ver, Red Bull dominou a cena esportiva, mas o teimoso Mateschitz nunca se contentaria.

Red Bull Sports | Na ordem: Sebastian Vettel, Thierry Henry e Cacá Bueno

Em 1998 a empresa deu início a um projeto que visava dominar o cenário musical, inaugurando a Red Bull Music Academy, promovendo oficinas que reuniam lendas e destaques da música, passando por várias metrópoles como Nova Iorque, Cidade do Cabo e até São Paulo.

Em 2004 surgiu a Red Bull BC One, competição de breakdance que foi sucesso absoluto e percorreu o mundo. O evento reúne os 16 melhores B-boys do mundo para “batalharem entre si”, popularizando inclusive muitos dançarinos, como é o caso do brasileiro Pelezinho, que mostrou que manda muito e deixou inúmeros espectadores de queixo caído com suas performances.

Red Bull BC One

Poucos anos depois foi inaugurada a Red Bull Music Studio Los Angeles e RB Music Studio London, estúdios de gravação de altíssima tecnologia, além da Red Bull Records, gravadora especializada em marketing, distribuição e relacionamento com o artista, que garantem serviço de primeira qualidade e confiança para que os artistas possam impulsionar sua carreira.

E como cereja do bolo musical surgiu a ideia original de RB SoundClash, onde duas bandas tocam suas músicas durante pouco tempo e depois o bicho pega! Simultaneamente as bandas dividem o mesmo público, seguem a mesma batida e precisam explorar todo seu potencial para saber qual é a de maior agrado do público. Aqui no Brasil foi feito em 2011 um duelo entre Cachorro Grande e Marcelo D2, transmitido pela MTV.

RB SoundClash | Cachorro Grande venceu Marcelo D2

Retorno do investimento da Red Bull

Mateschitz abriu sua cabeça, pensou fora da caixa e conseguiu tornar sua marca uma das mais fortes no mundo, com 100% de conhecimento estimulado (quando o consumidor lembra da marca quando citado seu nome) no seu público-alvo, o que fez o austríaco atingir o ponto de homem mais rico de seu país.

Em 25 anos de existência, a Red Bull foi da Áustria para mais de 160 países, empregando mais de 8 mil funcionários e vendendo mais de 4 bilhões de latas apenas em 2011. Seu faturamento está em mais de 4 bilhões de Euros, valor recorde para a companhia, fator que evidencia ainda mais potencial de crescimento. Resultado excelente para quem investiu a quantia de US$ 500 mil no negócio.

Red Bull X-Fighters

O Brasil, que já sediou edições do Red Bull X-Fighters (motocross), Red Bull Flugtag, Red Bull Air Race World Championship (mundial de corrida de aviões), dentre outros eventos, apresentou em 2011 crescimento superior a 20% de vendas, batendo a meta de 185 milhões de latinhas e conquistando 50% da fatia do mercado de bebidas energéticas. Atualmente patrocina atletas de várias modalidades esportivas: do famoso Sandro Dias e até a sensação do momento e atacante do Santos, o garoto Neymar.

O Brasil é um dos países de crescimento mais expressivo para a marca, fator que atrai mais atenção e esforços financeiros da marca. Juntamente com o Brasil estão Turquia, Japão, Escandinávia e França. Pelo jeito Red Bull dará asas a cada vez mais pessoas.