Eurico Teles Neto assume presidência definitiva da Oi

Uma das maiores empresas de telefonia do país, já tem o seu novo Presidente, Sr. Eurico Teles Neto. Assim, o executivo que tinha assumido o cargo de maneira interina, agora converteu-se no mais novo cabeça da organização. A resolução foi durante uma reunião do conselho de administração da companhia.

Vale lembrar que Eurico Teles assumiu o comando da Oi, após ser assumida a demissão de Marco Schroeder. No dia 24 de novembro de 2017, o executivo foi escolhido como diretor presidente da Oi em regime cumulativo ao cargo que já ocupava como diretor jurídico.

Outro ponto interessante, é que a eleição ocorreu de forma tranquila, inclusive, Neto foi elegido por unanimidade. Como é de praxe, a decisão tão relevante foi informada à imprensa mediante um comunicado.

O que aconteceu com o Presidente anterior?

Marco Schroeder ocupou o cargo de Presidente da Oi até junho de 2016. Nesse mês ele pediu demissão após a Oi prosseguir com o pedido de recuperação judicial. A dívida assumida pela empresa era superior a 65,4 mil milhões de reais, aproximadamente 17 mil milhões de Euros.

Uma cifra significativa e que poderia mudar de forma drástica o rumo da companhia. Inclusive pelo fato de aumentar as chances de uma intervenção governamental ou petição de falência.

No que concerne ao início do mandato de Schroeder, ele assumiu a função dez dias antes da companhia começar o processo de recuperação judicial mais expressivo ocorrido no Brasil.

Certamente, o momento não foi o melhor, contudo, durante o seu mandato buscou amenizar os problemas da companhia na tentativa de não deixar o pior acontecer, a falência.

O problema com Schroeder foi agravado por conta da pressão exercida pelos acionistas que defendiam a assinatura do PSA, o Acordo de Plano de Suporte. Este plano estabelece condições determinadas de participação tanto de acionistas quanto de credores em um futuro aumento de capital.

É relevante citar, que a renúncia aconteceu em um momento extremamente delicado, haja vista que a assembleia geral de credores da Oi já tinha sido marcada para dezembro e postergada por quatro vezes.

Segundo a Lei de Recuperação Judicial, a organização necessita apresentar um plano de recuperação dez dias antes da realização da assembleia.

Oi apresenta uma recuperação complicada

O pedido de recuperação judicial é o maior registrado no pais, a dívida de R$ 64 bilhões para aproximadamente 55080 credores requer um amplo e eficiente plano de negociação.

Além do valor ser bastante alto, a complexidade envolvida no processo também é fruto da relevância da companhia. Neste sentido, hoje, a Oi é considerada a maior empresa de telefonia fixa do Brasil, com aproximadamente 70 milhões de clientes.

Até o momento, as propostas públicas feitas aos credores tiveram pouquíssima receptividade. O principal ponto de desentendimentos refere-se à porcentagem de participação dos credores na troca por ações.

Por conta do impasse entre credores e acionistas, o Governo ameaçou intervir. Desde outubro do ano passado, a Advogada- Geral da União, Grace Mendonça acompanha as investigações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *