Eurico Teles mantém confiança de aprovação do novo plano de recuperação da Oi no dia 19

Se depender do presidente Eurico Teles, o impasse entre credores e acionistas da Oi está próximo do fim. O diretor geral do grupo mantém-se confiante e crédulo de que o plano de recuperação judicial será aprovado na Assembleia Geral de Credores.

Conforme as impressões do Presidente da companhia, as negociações estão fluindo conforme o esperado. Além disso, Eurico Teles Neto afirma que a empresa está focada na idealização e consecução de um plano eficiente que seja interessante para todos os grupos de interesse.

Acorde a perspectiva de Neto, a companhia irá despertar o interesse de novos investidores depois que o novo plano de recuperação for aprovado. Isso porque uma empresa com dívida saldada, com receita alta e garantida e com equipamentos e insumos de tecnologia inovadora pode ser considerada como promessa de mercado.

Plano de recuperação judicial

O plano de recuperação da maior companhia de telefone fixo do país tem gerado bastante polêmica. Depois de 18 meses de muitas ameaças de credores e do próprio Governo (este ameaçou inclusive, intervir nas operações da empresa), a companhia apresentou em dezembro um novo plano. Na assembleia marcada para o dia 19 de dezembro, será definida a aprovação ou recusa de este novo plano da empresa.

Tópicos abordados por esse novo plano de recuperação judicial

  • Diminuição da dívida financeira em 50%, aproximadamente;
  • Conquista de novos recursos por acionistas e credores no valor de R$ 4 bilhões.
  • Possibilidade de aporte de R$ 2,5 bilhões mediante o mercado de capitais.
  • Oferecimento de comissão para credores e acionistas com um percentual de 8%, em dinheiro, a 10%, em ações.
  • Pagamento da dívida feita com a Anatel em 20 anos com indexamento pela taxa básica de juros, a SELIC, e não mais pelo índice IPCA.
  • Conversão da dívida até 75% do capital da Oi, assim, os credores poderão efetivamente adquirir a companhia.
  • Pagamento da dívida com o Banco de Desenvolvimento, BNDES, em 15 anos com a taxa de juros sendo indexada pelo TJLO+ 2,94% ao ano.
  • Pagamento das dívidas com bancos em até 17 anos depois de 5 anos de carência com uma taxa de juros equivalente à 1,75% ao ano (quando a dívida for em dólares). Quando a dívida é em reais, o pagamento é de 75% do CDI.
  • Pagamento de dívidas trabalhistas com seis meses de carência divididas em cinco parcelas mensais.

Conforme o Presidente da Oi, Eurico Teles, o patamar de conversão de dívida para ações foi estabelecido considerando o equilíbrio entre a recuperação de crédito para os credores da empresa e o valor econômico para os acionistas. Sobre a realização do plano, Eurico Teles afirma que foi feito com bastante esforço no intuito de promover uma proposta equilibrada para as partes envolvidas. Além disso, houve o cuidado de planejar sem perder de vista o fortalecimento da empresa. Neste sentido, a companhia buscou elaborar um plano que não desagrade muito a poucos envolvidos. Contudo, o Presidente da companhia é ciente da possível insatisfação de vários dos credores e acionistas da Oi. Embora reconheça estas questões, segue confiante no novo plano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *