Dor de costas afeta sete em cada dez

Os números são avançados pela campanha ‘Olhe Pelas Suas Costas’, promovida pela Sociedade Portuguesa de Patologia da Coluna Vertebral. “De acordo com o estudo feito em 2009, 72,4% dos inquiridos referiram ter dor nas costas, o que é uma percentagem elevada e está dentro dos números internacionais [entre 50 e 80%]“, explica Paulo Pereira, médico de Neurocirurgia do Hospital de São João, no Porto, e coordenador da campanha.

Uma das principais causas deste tipo de dores são as atividades sedentárias. “Atualmente, temos mais pessoas sentadas a trabalhar e a conduzir, o que diminui as estruturas musculares”, refere. Já o que mais faz recorrer à urgência médica é a lombalgia aguda (dor na parte de baixo das costas), que atinge sobretudo a faixa etária dos 25 aos 30 anos.

Há 28,4 por cento dos portugueses que já sentiram que a sua atividade profissional foi prejudicada pelo facto de terem dores, o que representa mais de 400 mil dias de trabalho perdidos em cada ano, no total da população portuguesa.

Dependendo da frequência e intensidade, em geral os pacientes só precisam de corrigir os factores de risco (tais como modificar a postura), tomar medicação para controlar a dor ou fazer fisioterapia. Com patologias mais graves, a solução passa pela Ortopedia e Neurocirurgia.

Fonte: CMJornal

Originalmente publicado no Blog Da Saúde