Cuide da sua hérnia de disco

O que é Hérnia de Disco?

Hérnia discal é a herniação do núcleo pulposo através do anel fibroso, constituindo-se como uma das principais causas de dor lombar. Esta lesão surge como resultado de diversos pequenos traumas na coluna que vão, com o passar do tempo, fragmentando a placa terminal, revestimento cortical do corpo vertebral, gerando desnutrição do disco e ressecamento. Com isto, a capacidade hidrófila do mesmo não acontece, suscetibilizando o aparecimento de fissuras no seu anulo fibroso e conseqüentemente extravasamento do núcleo pulposo.

Dor é o sintoma mais comum nesta patologia, que pode resultar de compressão nervosa gerando dor radicular: parestesia, formigamento, irradiação e perda de força muscular. Geralmente é percebida como aguda, de forma súbita, a irradiação pode chegar ao longo da distribuição inteira da raiz envolvida ou afetar somente uma parte desta raiz.

Após uma extrusão discal, a pessoa acometida deve passar por um tratamento específico, e este compreende não só de medidas embasadas em fármacos prescritas pelo médico mas também de realização de atividade física, com exercícios específicos para atenuar o problema já instalado.

Os exercícios tem o objetivo de restabelecer a estabilidade da coluna vertebral comprometida com a ruptura da estrutura discal. Não basta sedar a dor, mas sim restabelecer o equilíbrio da unidade funcional. Para isso é necessário:

– abrir o espaço intra-articular, através de trações e mobilização articular. A mobilização articular tem como função: otimizar a nutrição dos tecidos moles, restaurar movimentos acessórios internos, aumentar o espaço entre os ossos por uma decoaptação e auxiliar o movimento dinâmico do segmento. Alguns autores como Matos, 2010; Vanícola apud Teixeira, 2008 e Maitland, 2007, sugerem que a decoaptação ou mobilização deva ser realizada diariamente depois do alongamento e antes do treinamento de força. Os mesmos relembram que um alongamento sustentado por volta de 15 segundos estimula o OTG – órgão tendinoso de golgi gerando uma resposta de relaxamento, este relaxamento facilita a abertura dos espaços, e cessa até o término das séries de mobilizações que segundo o Maitland pode ser variada e não deve exceder 60 repetições.

Exemplos de mobilizações:

– báscula de quadril

– gato arrepiado

– desploqueios torácicos

– trações

Lembrem-se que existem mobilizações gerais e especificas, dentro das específicas as diretas feiras manualmente e as indiretas com auxílio de rolos ou outros materiais. Aqueles que apresentam interesse e querem aprender minuciosamente esta questão, aguarde a aula de Terapia Manual do curso de atividade física adaptada e saúde.

Após a aplicabilidade deste conceito você é livre para o fortalecimento, o qual deve focar o CENTRO DE FORÇA – POWER HOUSE, se assim preferir, ou meramente exercícios de costas e abdômen. São estas musculaturas que darão suporte concomitante as profundas Multifidios e Transverso do abdômen as principais lesões de coluna. E se você não as tem ainda atuarão como um grande protetor.Lembre-se: autores da biomecânica como Wilke, et. al. por exemplo não nos deixam esquecer que FLEXÃO COM ROTAÇÂO de tronco no eixo axial potencializam a compressão no disco intervertebral, cuidado. Quem quiser ler melhor sobre o assunto o artigo se encontra na pasta de biomecânica no banco de textos intitulado New In Vivo Measurements of Pressures in the Intervertebral Disc in Daily Life

Cuide-se!

Originalmente tirado de Milena Dutra

Originalmente publicado no Blog Da Saúde