Brasil, um país de milionários

SE A SOCIEDADE LIVRE NÃO FOR CAPAZ DE AJUDAR OS MUITOS QUE SÃO POBRES, NÃO CONSEGUIRÁ SALVAR OS POUCOS QUE SÃO RICOS

Existe alguma chance de algum dia os preços dos carros vendidos no Brasil ficarem compatíveis com os preços dos carros vendidos na gringolândia??? Sei lá, antes que o assalto das montadoras seja notícia na revista FORBES? Ops, já era, leia aqui.

Se alguém aqui – tirando o lula – acha que os gringos vão ficar exaltando as qualidades do Brasil nessa temporada de exposição internacional, ESTÁ SUPER ENGANADO. Os caras vão aproveitar esse período de Copa e Olimpíadas para exibir o pior que existe aqui. Portanto, ou conserta tudo, ou preparem-se para apanhar.

O Brasil tem o carro mais caro do mundo. Por quê? Os principais argumentos das montadoras para justificar o alto preço do automóvel vendido no Brasil são a alta carga tributária e a baixa escala de produção, ou melhor, o Custo Brasil.

Mentira! O problema do Brasil é o Lucro Brasil. O problema são os salários dos CEOs e a mentalidade extrativista de quem lidera o país. Uma pesquisa feita pelo banco de investimento Morgan Stanley, da Inglaterra, mostrou que algumas montadoras instaladas no Brasil são responsáveis por boa parte do lucro mundial das suas matrizes. A margem de lucro de quem vende carro no Brasil é três vezes maior que em outros países.

Enquanto isso, pesquisas feitas pela BlueSteps e Dasein Executive Search mostram que os salários base dos executivos brasileiros são muito superiores aos salários de executivos que trabalham em Nova Iorque, Londres e Hong Kong. Agora, por que o brasileiro aceita pagar mais caro??? Porque vivemos em um país onde a FUCKING elite brasileira gosta de dizer que pagou mais CARO por um produto.

Por conta disso, os empresários subdesenvolvidos aproveitam a mentalidade de ameba da elite brasileira e metem a faca nos próprios amigos. O que seria da elite-lixo desse país se o tiozinho da quitanda pudesse ter os mesmos bens materiais da turma que come pizza na casa do faustão????? Tem que ser milionário para viver no Brasil!

Afinal, para viver em um país onde o carro, o computador, o ipad, o smartphone, a televisão, a educação, o cinema, a revista, as roupas, os sapatos, os apartamentos e casas, os shows e os DVDs custam 5x mais caros do que lá fora, só sendo RICO e ganhando bem. O Brasil é um país de milionário. E isso não vai mudar NUNCA.

NUNCA!

O ACM Neto vai ganhar as eleições na Bahia; o Mario Covas Neto vai ganhar em São Paulo; e daqui há pouco, o lula neto vai ser presidente do Brasil. E ninguém tá nem aí para isso.

No topo da pirâmide, a elite zé mané desse país exporta sua riqueza – 16 mil famílias brasileiras tem mais de 100 bilhões de dólares na Suíça -; a classe média, sempre com medo de lutar por alguma coisa prática, se refugia em livros, cinema , teatro, faculdade e centro espírita; o zé povinho, cada vez mais feliz da vida com seu carnê das Casas Bahia e seleção brasileira, bate palmas para a torcida campeã. Então, o que fazer? Nada. Ninguém precisa fazer nada. Segundo os “especialistas” está tudo melhorando, é só uma questão de tempo, tipo, 100 anos.

100 anos está bom para você?

Uma saída seria se os empresários do país se unissem; talvez, se eles conseguissem a tão desejada redução de impostos – caso os impostos fossem a real causa dos problemas do país – tudo seria uma maravilha. Mas a GRANDE VERDADE é que a carga tributária não é a causa dos problemas do Brasil, o grande problema do Brasil é a mentalidade capitalista subdesenvolvida do mega empresário brasileiro.

Faz décadas que os empresários subdesenvolvidos do Brasil vão até Brasília pedir descontos em impostos. Faz décadas que eles espremem o governo e mamam nas tetas do estado. Todos os dias dezenas de empresários vão a Brasília, e eventualmente eles conseguem várias coisas. Redução de IPIs até negócios forjados em licitações fraudulentas.

Mas, você vê algum desses empresários fantásticos repassarem algum investimento VERDADEIRO para as pessoas?? Os fantásticos carros brasileiros continuam movidos a manivela, as fantásticas roupas brasileiras encolhem na primeira lavagem, as fantásticas revistas brasileiras são 200% mais caras que as similares internacionais, e as fantásticas lojas de varejo nem prateleira tem.

Nas casas dessa galera que explora o Brasil, os carros são importados, as roupas são importadas, o enxoval dos seus bebês são importados, a faca, o garfo e o prato que eles usam para comer peixe importado também são importados. Isso acontece porque eles mesmos reconhecem que os próprios produtos que fabricam não são dignos de serem comprados por eles mesmos.

Eu tenho um amigo que trabalhou na Nestlé, e ele me contou que certo dia o presidente da empresa juntou todos os gerentes de produtos na sala de reunião e pediu a eles que cortassem os seus custos em 30%. A gerente de produtos do Leite Moça reclamou. Ela disse que as consumidoras do produto iriam reparar se alguma mudança fosse feita no Leite Moça.

O presidente da Nestlé mandou seguir em frente, e como argumento afirmou que os brasileiros não tem paladar o suficiente para notar qualquer mudança. Que ela procurasse por fornecedores mais baratos e de menor qualidade para o Leite Moça. O boçal quebrou a cara. As consumidoras do Leite Moça perceberam a mudança e reclamaram assim que o novo produto chegou nos supermercados. Resultado, a Nestlé teve que voltar atrás na decisão do super presidente boçal.

A Nestlé estava mal das pernas para tomar aquela decisão??? Não!!!

A Nestlé estava quebrando??!! Não!!!

Os caras queriam “apenas” aumentar os lucros da empresa. Vai ver que era época do dissídio salarial da diretoria da empresa; vai ver que algum suíço maluco ficou com vontade de comprar um castelo novo na Alemanha, sei lá, alguma coisa assim. Ou seja, os empresários não vão resolver nada.

Os políticos também não.

A igreja também não.

O faustão e o Silvio Santos também não.

Quem vai resolver alguma coisa? Você?

A conclusão que eu chego é a seguinte: vivemos em uma época totalmente CÉTICA com relação a grupos, associações e movimentos. Por um lado isso é ruim, e por outro lado isso é bom. Isso vai obrigar o indivíduo a AGIR SOZINHO, se mexer e fazer acontecer. A participação do Brasil nas Olimpíadas é um retrato disso. Os brasileiros que trouxeram medalhas para casa são ilustres desconhecidos.

Você já tinha ouvido falar da judoca do Piauí que ganhou a medalha de ouro? Ou da menina que nasceu em Afogados da Ingazeira em Pernambuco que ganhou a medalha de bronze no pentatlo moderno??? O fato é que as fronteiras dos países – incluindo o Brasil – vão desaparecer ou já estão desaparecendo, e os indivíduos que quiserem fazer a diferença, vão se mexer sozinhos, e se juntar com os iguais que em alguns casos não serão nem brasileiros, ou moradores do seu estado ou cidade, e sim pessoas de outros lugares do mundo que querem fazer alguma coisa com pessoas que pensam igual.

A revolução que aconteceu no Egito, por exemplo, não estava programada para acontecer. Havia meses, que todas as semanas, 4 mil egípcios se reuniam todas as sextas-feiras na Praça Tahrir no Cairo para conversar sobre o governo e cidadania. Nem os líderes do movimento entendem até agora porque em uma certa sexta-feira 40 mil pessoas apareceram no lugar das 4 mil. E ai tudo começou.

O Brasil precisa de uma Revolução. Mas ela não vai acontecer na porrada ou no grito. A Revolução Brasileira vai ser silenciosa. Ela será liderada por pessoas generosas que pagam impostos, tem família, lideram pequenas empresas, usam tecnologia todos os dias, participam de eventos, falam o que pensam, exportam idéias, perdem dinheiro, ajudam quem tem menos.

A Revolução Brasileira não vai passar no Jornal Nacional ou no Faustão. A Revolução Brasileira vai passar lá fora, e com legendas em português para a elite analfabeta desse país entender.

QUEBRA TUDO! Foi para isso que eu vim! E Você?

Fonte: BizRevolution

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *